Lendo agora:
Café de qualidade e sem agrotóxico
Matéria Completa 2 minutos em média para ler

Café de qualidade e sem agrotóxico

O cafeicultor Milton Marques de Lima é um dos pioneiros do estado na busca pela melhoria da qualidade do café de sua propriedade. Após anos de investimento em qualidade e sustentabilidade, Milton hoje colhe excelentes resultados. Em 2017, o produtor ficou em segundo lugar no concurso de qualidade do café de Rondônia. “Todo mundo ganha quando se produz um café de qualidade. Durante muitos anos o nosso estado produziu café ruim. Hoje estamos participando de concursos locais e nacionais, conversando com gente do Espírito Santo, Minas Gerais e de muitos outros lugares, e estamos ganhando o respeito de todos”, diz Milton. “Antes, quem trabalhava com qualidade não era valorizado. Agora não. Ano passado, depois que eu fiquei em segundo lugar do estado, já consegui vender a R$ 550,00 a saca, enquanto no comércio estava a R$370,00. É uma lavoura que a gente conseguiu produzir 300 sacas de café fino, café bom. Para esse ano, temos previsão de 450 sacas. E para o ano que vem, acho que deve chegar entre 700 a 800 sacas de café”. O diferencial do seu Milton é a sustentabilidade. “A gente tem um lucro maior por saca, e além disso não gasta com veneno, só com adubo químico, e essa é uma vantagem, a despesa nossa por saca é bem menor que dos outros produtores”, revela. “Todas as despesas aqui, incluindo apanhador e todo o serviço nosso roçado, fica entre R$130,00 a R$ 140,00 a saca, essa é toda a despesa”, resume.

Comentários Facebook
Digite o que deseja procurar e pressione Enter